Mitos sobre a vasectomia


No final de 2005 e começo de 2006 passamos por um dilema na família, eu queria que o marido fizesse vasectomia e ele não. Estava grávida do caçula e não queria mais filhos, mas na realidade era por puro medo que ele não queria, mas como passei por uma cesariana e o médico resolveu que faria no mesmo dia minha laqueadura, foi isso que fizemos e ele não teve que passar pela cirurgia, mas baseada nisso, vamos vê se esse medo teve fundamento? 



Entenda o que é a vasectomia


Bom, ela nada mais é do que uma cirurgia realizada em homens, com a finalidade de interromper a circulação de espermatozoides entre os testículos e o canal da uretra. Em outras palavras, é um procedimento de esterilização masculina, impedindo assim, que o homem possa ter filhos.

 

Cirurgia


No entanto, não é qualquer um que pode recorrer a esse tipo de tratamento não. Ela é realizada em homens com mais de 25 anos de idade e que já tenha, pelo menos, dois filhos. Isso é determinado, pois a decisão de não querer mais reproduzir é algo importante.


Para esclarecer todas as suas dúvidas sobre o tema, trouxe aqui uma série de questões que rondam os consultórios médicos. Confira:


A vasectomia é mais complicada que a laqueadura de trompas?



Mito.

A laqueadura é o processo de esterilização feminina e é definitiva, ou seja, a mulher ficará estéril para sempre. Há uma lei que regulamente o procedimento e que determina que só podem realizá-lo mulheres que tenham pelo menos 18 anos e dois filhos ou 25 anos(mas sabemos que pelo sus é bem difícil conseguir), independentemente do número de filhos. Essa esterilização é realizada em centro cirúrgico e é preciso se recuperar totalmente antes de receber alta.


Já a vasectomia, é considerada menos complicada por que é um procedimento minimamente invasivo, simples. Ele pode ser realizado em um ambulatório e não causa dor. O paciente já sai da cirurgia andando e pode retomar rapidamente suas atividades habituais.

É uma cirurgia que oferece riscos à vida?




Mito.


Como foi dito, essa cirurgia é minimamente invasiva. A anestesia é local e quase não oferece risco de complicação durante ou após a cirurgia. Caso o paciente não siga as orientações médicas corretamente, pode haver alguns problemas. Por isso é importante realizar todos os cuidados prescritos, como a higiene da ferida e o uso de medicamentos.

A vasectomia pode ser revertida?



Mito.


Esse é um dos maiores mitos que circulam por aí. Mas saiba que a vasectomia pode ser revertida, sim. Apesar disso, para que haja sucesso na retomada da fertilidade, é aconselhado realizar a reversão antes que se completem dez anos da cirurgia. Serão feitos exames para atestar a eficácia e o homem poderá voltar a ter filhos biológicos.

Ela modifica a ejaculação e a potência sexual?



Mito.


Outra grande mentira contida em diversos sites sobre saúde. Não, a vasectomia não deixa o homem com a ejaculação mais “fraca” e nem diminui a potência do órgão masculino durante o ato. Ao fazer esse procedimento, o canal que é interrompido não chega nem perto dos nervos e das artérias responsáveis pela ereção. E a ejaculação se mantêm praticamente a mesma pois, o esperma representa apenas 10% do conteúdo do sêmen.

A libido masculina é afetada?




Mito


O desejo sexual do homem permanece a mesma após realizar a vasectomia. Aliás, uma pesquisa realizada por médicos do Hospital das Clínicas de São Paulo mostrou que, na maioria dos pacientes, a libido e a satisfação dos homens até aumenta após a cirurgia.

A vasectomia aumenta as chances de câncer de próstata?




Mito.


Essa associação era comum quando a vasectomia começou a ser realizada. Acreditava-se que, como o espermatozoide continua sendo produzido, poderia se acumular e causar alguma complicação. Mas hoje estudos comprovam que essa relação não é verdadeira.


Os espermatozoides param totalmente de ser produzidos?




Mito.


A produção de espermatozoides não para após a vasectomia. Eles continuam sendo produzidos normalmente, no entanto, ao seguir o fluxo no canal são bloqueados pela intervenção feita pela cirurgia. Eles continuam nesse ponto de chegada e logo se tornam tecido morto para serem reabsorvidos pelo organismo.


A possibilidade de gravidez da companheira está descartada após a vasectomia?




Mito.


Isso é considerado mito por existir chances de engravidar logo depois da cirurgia. O mais indicado é fazer um espermograma – após 21 ejaculações – para verificar a ausência de espermatozoides. Se o resultado for positivo, aí a mulher pode deixar  de fazer uso de anticoncepcionais. Nesse caso, o risco de gestação é muito baixo: um para cada dois mil casos.

Vasectomia é a mesma coisa que castração?



Mito.


A castração consiste na retirada dos testículos e é uma recomendação no caso de câncer de próstata em nível avançado. Não tem relação alguma com o procedimento de esterilização masculina.


Essa cirurgia provoca alguma mudança no órgão masculino?



Mito.


A pequena cirurgia é feita por incisão e não há qualquer corte ou alteração realizada durante o procedimento no órgão masculino, nem nada que possa causar dor.


Médicos indicam a vasectomia como parte de um programa de planejamento familiar, sendo de muita valia para famílias que não têm condições de criar muitos filhos, por exemplo. É uma decisão, porém, que deve ser muito bem pensada pelo homem e também pelo casal. Pois apesar de ser reversível, cada organismo reage de uma forma.


E aí, suas dúvidas foram respondidas nestas questões? Não? Então não hesite em deixar um comentário aqui embaixo, que tentaremos respondê-lo da melhor forma possível. Lembrando que não somos uma equipe médica, e sim, trabalhamos para reunir informações precisas de especialistas para trazer a você.

0 comentários